ionline.sapo.ptionline.sapo.pt - 5 jul. 08:39

Polícia diz que ataque a centro comercial na Dinamarca não foi atentado terrorista

Polícia diz que ataque a centro comercial na Dinamarca não foi atentado terrorista

Suspeito de tiroteio em Copenhaga tem antecedentes de doença psiquiátrica.

As autoridades dinamarquesas revelaram que o ataque que ocorreu este domingo, num centro comercial em Copenhaga, não se tratou de um atentado terrorista, esclarecendo que o autor do crime escolheu as suas vítimas “ao acaso”. 

O inspetor da polícia chefe de Copenhaga, Søren Thomassen, afirmou que o atirador, um homem dinamarquês de 22 anos, disparou a pessoas “aleatoriamente”, quando abriu fogo no centro comercial, tendo feito três vítimas mortais, um rapaz, uma rapariga de 17 anos e um homem russo de 47 anos, deixando ainda mais quatro feridos, que, segundo um médico da universidade clínica de Copenhaga, estão fora de perigo, cita o Guardian,

Apesar de inicialmente, as autoridades terem afirmado que podiam existir ligações a um ataque terrorista, até ao momento, não existe nenhuma prova que ligue o atirador a este tipo de crime ou a motivações raciais. “Até termos a certeza absoluta de que essa hipótese está correta iremos realizar extensas investigações e manteremos uma presença operacional maciça em Copenhaga para que possamos ter a certeza de que estava a agir sozinho”, acrescentou o chefe de polícia.

Segundo o jornal inglês, o atirador, que foi detido pela polícia no próprio centro comercial, com uma espingarda e uma faca, terá antecedentes de doença psiquiátrica, tendo sido alvo de tratamentos. 

A presidente da Câmara de Copenhaga, Sophie H. Andersen, classificou o ato como “terrível” e “muito grave”. Já a primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, disse no domingo que o país foi atingido por um “cruel ataque”. “É incompreensível, comovente, sem sentido. A nossa bela, e geralmente tão segura, capital foi alterada numa fração de segundos”, afirmou num comunicado oficial.

Numa declaração conjunta, a rainha Margarida, o príncipe Frederico e a mulher e a princesa Maria afirmaram que “a situação pede unidade e cuidado”.

“Ainda não sabemos a extensão total da tragédia, mas já é claro que mais pessoas perderam a vida e que mais ainda ficaram feridas”, lamentaram.

O primeiro alerta foi dado ontem às 17h36 locais (16h36 horas em Portugal continental). Segundo testemunhas, as pessoas que se encontravam dentro do centro comercial entraram em pânico quando começaram a soar tiros. Clientes do centro comercial revelaram ter ouvido entre três a quatro disparos. Já o assessor de imprensa do centro comercial revelou ter ouvido “barulho que parecia de tiros”, perto da zona de restauração.

A área do centro comercial foi isolada e vigiada por um helicóptero. As autoridades políticas pediram para quem “viu, ouviu ou filmou algo” que entre em contacto com a polícia.

NewsItem [
pubDate=2022-07-05 07:39:40.0
, url=https://ionline.sapo.pt/artigo/775339/policia-diz-que-ataque-a-centro-comercial-na-dinamarca-nao-foi-atentado-terrorista?seccao=Mundo_i
, host=ionline.sapo.pt
, wordCount=406
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_07_05_684084189_policia-diz-que-ataque-a-centro-comercial-na-dinamarca-nao-foi-atentado-terrorista
, topics=[atentado, saúde mental, polícia, dinamarca]
, sections=[sociedade]
, score=0.000000]