observador.ptObservador - 4 jul. 06:32

Sem rumo, sem juízo e sem autoridade

Sem rumo, sem juízo e sem autoridade

Um líder que perdeu autoridade, uma ministra coordenadora que não existe e um ministro humilhado. Eis um reality show que mostra um Governo com maioria absoluta desnorteado. Em apenas 3 meses (?!?!).

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

1 Antes de entrar na mais evidente prova de que o Governo está completamente desorientado em apenas três meses (?!?!), gostava de começar por um pequeno exercício de memória que partilhei no Twitter no dia da exibição do reality show “De Coração Apertado ” — créditos do título para a ministra Ana Abrunhosa, sff — e que gostava de aprofundar.

Recuemos a dezembro de 2000. O Governo de António Guterres tinha ficado a um deputado da maioria absoluta em outubro de 1999 mas, ao fim de seis anos de poder, estava nas ruas da amargura.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.

Siga-me no Twitter (@luisrosanews) e Facebook (luis.rosa.7393)

NewsItem [
pubDate=2022-07-04 05:32:43.0
, url=https://observador.pt/opiniao/sem-rumo-sem-juizo-e-sem-autoridade/
, host=observador.pt
, wordCount=154
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_07_04_1840915176_sem-rumo-sem-juizo-e-sem-autoridade
, topics=[opinião, pedro nuno santos, governo, antónio costa, luís montenegro]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]